Acidente doméstico

A porta do armário se
solta das dobradiças,
cambaleia pelo quarto e
finalmente se projeta
rumo ao quadro na moldura,
onde um poema é ilustrado
por uma fera em bico de

pena. O vidro se estilhaça,

papel, palavras, traços, fera,
tudo se desprende da
parede e cai no chão,
com um estrépito de rotina
revogada.

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em Poesia

4 Respostas para “Acidente doméstico

  1. É isso que acontece a todos nós. Poucos, no entanto, percebem. E menos ainda são os que, entre nós, são capazes de transformar tal bagunça em versos.
    O bom – sempre tomando o devido cuidado com os pedaços do vidro estilhaçado, e talvez mais ainda com as palavras “caídas” – de tudo isso acontecer tão perto do aniversário é que se pode “rearrumar” as coisas, pelo menos até onde nos é dado essa autonomia.

    Mensagem seque em breve. Por enquanto, abraços…de dos grandes.

  2. Caí aqui por acaso. Mas não é porque qualquer acaso que irei sair.

    Escreve muito bem. Ficarei. Parabéns.

  3. Bípede Falante

    Rotina revogada me dá medo mas me fascina!!

  4. Akira Yamasaki

    Os estilhaços no chão, palavras e traços caídos.
    Imagino a opressiva marca do vazio na parede.

    Mil abraços, meu compadre!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s