Sherazade

 

Sherazade com a

morte nas ancas.

Silêncio de grilos

para contemplarmos

a juventude da moça

que distrai o sultão.

.

Imagem: Gustav Klimt,  A árvore da vida.

Anúncios

5 Comentários

Arquivado em Poesia

5 Respostas para “Sherazade

  1. Nilson, meu poeta preferido

    E tenho certeza que de muita gente também.
    Seus versos são sempre supremos e agradam de A a Z, isso independe de voce. Bato cartão todos os dias aqui, releio poemas antigos e sempre aprendo coisas novas, detalhes que não havia percebidos antes.., voce é foda, cara.
    Um grande abraço do Akira.

  2. Bípede falante

    Sherazade deitada sobre o lençol de 180 fios acaricia os ouvidos do sultão de terno e gravata. Sherazade deitada sobre o lenço de 180 fios desfia os dedos que roçaram seu corpo e excita o sultão do sultão de terno e gravata. Sherazade deitada sobre o lenço de 180 fios sonha com um sultão sem terno enquanto liga o notebook para trocar de ancas, de noites e de poemas.
    beijosss

  3. I.Moniz Pacheco

    Poemas sobre poemas que distraem a moça que não distrai o sultão.

  4. essa moça sempre jovem tece a sua rede e distrai a eternidade,

    abraço

  5. A morte e os grilos, ancas da juventude, um arranjo de beleza sem saída.
    Incrível, Nilson.
    Beijo saudoso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s