Na ilha desses dias

Na ilha desses dias, minha

tua hesitação entre o sono

e a vigília. Acho que dançamos um

tango, acho que fomos até a rua e

era um mar para todos os lados,

um mar sem qualquer intenção

de verossimilhança. Acho que

sorvemos aquela brisa inteira e andamos

pela praia de areia e pedregulhos,

agora tocava uma canção de nuvens

e éramos aqueles que faríamos, sim,

a grande travessia. Não havia quando:

éramos agora, e nunca, e sempre,

e todos os minutos eram como barcos

prontos pra zarpar.

Anúncios

7 Comentários

Arquivado em Poesia

7 Respostas para “Na ilha desses dias

  1. A sua poesia é um negócio muito sério: fascinante conferir palavra por palavra, verso a verso.

  2. Grande Nilson, que todos os minutos sejam barcos prontos para zarpar. Beijos gratos por tão belo poema.

  3. e essa aventura da poesia se comemora hoje, ouço dizer, e merece esses minutos, esse mar e um poema assim enigma de amor.

    Beijo!

  4. Senti-me ilhada, abraçando palavra por palavra. Lindo.

  5. Lindíssimo, este poema de amor e liberdade. Tava com saudade daqui.

  6. Ivonete Moniz Pacheco

    Sorvemos aquela brisa inteira…
    Agora tocava uma canção de nuvens…

    Aplausos, poeta. Parabéns para nós que temos o privilégio de ler voce!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s