Lentamente

Caio na vida lentamente, meio

zen por que não assim uma certa

preguiça, tão devagar se formam as

ideias nessa manhã de tempo fluindo,

derramando, indo, indo, vou ao

escritório de ser uma pessoa e saio

de lá com menos, bem menos: um

bicho respirando e sabendo das

coisas com esse jeito de bicho

meio largado. Um novo homem,

tão lentamente.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Poesia

2 Respostas para “Lentamente

  1. Incrível. Muitíssimo interessante.

  2. entrar na sua poesia é entrar num redemoinho doce – as palavras nos embalam, nos levando e nos trazendo, formando um novo ser, “tão lentamente”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s