O excomungável Marcus Gusmão

caio-e-marcus

O próprio, no dia 9, comemorando aniversário junto com Caio.

A culpa é de Marcus Gusmão. Vou copiar o estilo de Franciel Ingresia e repetir em alto e bom som, pra ficar bem claro: a culpa é de Marcus Gusmão. Explico (essa também ao estilo Ingresia): lá pras bandas de 2006, esse caro amigo dado a incutimentos descobriu um troço chamado blog. Deve ter passado uns dois meses falando apenas do blog de uma brasileira que mora na Suécia. Sabe o que é isso? O cara ficar o tempo todo falando de um único assunto?

Mas depois piorou: incutido envergonhado, ele inventou fazer blog por e-mail, escrevendo textos que eram enviados para uma roda seleta de cobaias. Como ninguém desencorajasse o rapaz, deu no que deu: o incutimento virou blog de verdade e, para surpresa geral, vem resistindo ao tempo e à mente inquieta do autor. Nenhuma surpresa, claro, quanto ao puta texto, ao fotógrafo de primeira.

Ainda por cima o troço era contagioso: foi assim que, sem me dar conta, já tava jogando direto na rede meus alfarrábios, até então destinados a mofar em velhos cadernos ensebados, entre as contas de casa e as anotações do trabalho.

Se conheci todos vocês, blogueiros e leitores de blog que também passaram a me conhecer, se tive o prazer de participar na semana passada de uma mesa dileta, no lançamento do novo livro de Renata Belmonte, com Maria Sampaio, Bernardo Guimarães e Vera, Miro Paternostro e a Menina da Ilha e seu filho Marcus Vinícius, de me desencontrar com Martha Galrão e de elocubrar com os companheiros de mesa sobre a ausência onipresente da Aeronauta, a culpa é do incutido.

Se passei uma vergonha danada, sentado ali, com Aninha Franco na mesa ao lado, batendo altos papos com Maria, a culpa é de Marcus Gusmão. Se conheci Celso Chorik, o japa de humor refinado e elaborados hai kais, se passei a testemunhar as criações, reflexões e outras viagens de Kátia Borges, se passei a acompanhar os escritos de Gerana Damulakis e Janaína Amado, e de Christiana Fausto, e de Paulo Galo que parou de blogar, e  de Rogério e Luísa que não blogam, e se estabeleci uma relação nova, e rica, com todos vocês blogueiros aí do lado, não tenho a menor dúvida: a culpa é de Marcus Gusmão.

E o perfil escrito por Bernardo? Ter entrado pra galeria dos agraciados com o olhar perspicaz, olhar de romancista do Dr. Bernardo? Se fiquei vermelho feito pimentão com tamanha generosidade, não tenho a menor dúvida: A CULPA É DE MARCUS GUSMÃO.

P.S. 1: Vou consultar o arcebispo de Olinda: incutimento é caso pra excomunhão?

P.S. 2: Esse texto é uma espécie de sacanagem: o cara é chegado a uma culpa católica. Vai sair por aí em penitência, a percorrer, angustiado, todas as igrejas do Centro Histórico – ops, Centro Antigo. Sinto muito, meu velho: quem mandou???!!!.

Anúncios

9 Comentários

Arquivado em Poesia

9 Respostas para “O excomungável Marcus Gusmão

  1. Marcus

    Obituário?

    Relicário!

  2. não se sinta só.
    se hoje estou aqui, frustrado, me sentindo rejeitado porque os amigos vem visitar o baixo sul, passam na minha porta, reconhecem minha casa e sequer tocam o sino para um cafezinho, de quem é a culpa?
    já dá pra montar uma confraria: as vítimas de marcus gusmão!

    O jeito é excomungar!

  3. Adorê, adorê!!!! Além do mais me senti (des)culpada. Colocarei hoje no continhos um poema e você verá porque me senti (des)culpada.
    “Perguntei-te outro dia” : há poemas seus em papel de livro?
    Beijos Maria

    Oi, Maria, adorei o poema da culpa. Também cometi uns versos paraguaios e deixei por lá. E não, nunca publiquei nada em papel, a não ser matéria de jornal e uma carta pra redação da Veja, anos atrás.

  4. Ah, que ótimo!
    Marcus Gusmão: quem estabeleceu elos grandiosos!

    Ele é o tal!

  5. Se incutimento é caso de excomunhão
    já estou excomungada
    e a culpa, de quem é?
    de Marcus Gusmão!

    Quer saber? Excomunguemo-nos todos!

  6. Levemos a juri popular. Culpado de todas as acusações acima e sem direito a recorrer da sentença. A pena? Aceita-se sugestões…

    Uma semana sem blogar: não haveria castigo pior!

  7. Pois vou confessar (já que o clima aqui tá católico) uma coisa: me sinto rejeitada por uma pessoa nessa blogosfera.E de quem é a culpa do meu sentimento de rejeição, que me faz quase ficar doente, snif? De quem? Pois é, dele mesmo… Pois Marcus Gusmão visita os blogs de todo mundo, literalmente, deixa bilhetinhos e que tais…. mas nos meus blogs,(olhem que tenho 2!) nem tchuns, nada de presença, muito menos comentários, snif snif. E de quem mesmo é a culpa? rs

    Dele, e também, acabo de saber, de Maria Sampaio!

  8. Kátia Borges

    Se hoje conheço esse cara bacana, poeta dos bons, com quem mal troquei duas palavras na época da faculdade, e que hoje admiro pra caramba, bote aí, a culpa é mesmo de Marcus Gusmão. Bj

  9. Marcus: agora entendo pq vc disse que se identificou com o sentimento de culpa da menina do Vestígios!(rs)
    Bjs, Nilson!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s