Mutações

2009 será um ano redondo: 40 anos, 10 de casado, dois de blogue (houve primeiro essa versão no Uol). E daí? E daí nada. Será um ano de cifras redondas, e só. Sugestivo?  Talvez. Pode ser. Mas é irresistível, então seguem algumas reflequições (apud Millôr).

Sobre os 40: definitivamente não sinto o peso, e me dei conta disso papeando com Emília, numa noite serena, tomando vinho e falando da vida numa pousada sui generis nos arredores do povoado de Diogo, na Linha Verde (se der na telha, depois eu conto).

Leveza também no casamento: pro bem, pro mal, ainda estamos aprendendo. Dez anos depois,  fazemos quase tudo juntos. Quando tem briga, tem sempre uma brecha pra voltar: relações acabam, penso, quando não tem esse botão de voltar. Meio óbvio, até.

Sobre o blogue: meu deus!, tô quase acreditando nessa história de publicar um livro,  mas só faço isso se houver modéstia suficiente no gesto. Sou um poeta anônimo e bissexto, tornado militante e de produção, digamos, sequencial por essa esfera da web. Uma atividade terapêutica até, como sugerem Aeronauta e Chorik. Aos vinte queimei os poemas da adolescência: ser poeta era bobagem, era preciso me compenetrar, “correr atrás”. Mas aquilo, ou aquele eu tirado a escrever, andou correndo atrás de mim esse tempo todo. Talvez seja o caso de dar mais um pouco de espaço pro cara, mas com parcimônia: livro? E tendo eu, a formiga, de pagar ainda por cima? Vamos ver, vamos ver.

Ando pensando em mutações: em áreas como trabalho e estudos, nas relações com os amigos, vejo nesse início de 2009 uma poeira de perguntas, de incertezas. Uma curiosidade pelo futuro também, e isso não deixa de ser interessante. Mas à beira dos 40? Tenha paciência!!!

E veja como são as coisas: nem tava me lixando pra mistificações como balanço de fim de ano, etc, e aí fico sem sono e escrevo tudo isso. Noite de domingo, véspera de segunda, dá nisso.

E, se você chegou até aqui, saiba de mais essa: fiz o texto sem usar uma única vez o “que” como muleta, de carona na obsessão de Maria Sampaio e de Graciliano Ramos. E daí? E daí, nada.

2009 pra você também!

Anúncios

11 Comentários

Arquivado em Poesia

11 Respostas para “Mutações

  1. Eu também sempre prometo que nunca mais vou me ‘lixar” para as tais mistificações. Mas, geografia é destino. E na Bahia é quase impossível fugir do balanço.

    Apois, meu velho. Deve ser um vírus, tipo conjuntivite!

  2. E daí? tudo. Adoro datas redondas, “pro bem, pro mal”. Seu texto é uma riqueza uma nobreza! Parabéns pelos “que” ao lixo. Gratíssima por citar-me junto ao mestre Graciliano (cuidado senão papoco de tão cheia).
    Beijo pra você e Emília (vou logo tomando intimidade) de Maria

    Beijos nossos pra você tb, Maria. Fique à vontade, vc já é de casa!

  3. Tá na hora do livro impresso.já que o blag é uma espécie de livro digital…

    Mas o papel tem pompa e circunstância. E preço…

  4. Caro Nilson, a leveza dos 40 talvez esteja relacionado aos últimos 10, mais especificamente a Emília.
    Quanto a gastar com um livro aos 40, por que não? Uma pessoa experiente não é aquela que se repete durante 20, 30 anos. É aquela que agrega novos conhecimentos, às vezes por tentativa e erro, ousando e se reinventando. Como um mutante.

    Mutatis mutandis, então pé na tábua! E acho que Emília tem, sim, a ver com a leveza!

  5. Espero ir ao lançamento do seu livro (mascarada, claro). Um abraço e boa sorte no ano redondo.

    Esse é outro problema: acho que eu tb iria mascarado. Vergonha!!!

  6. Espero ir ao lançamento do seu livro (mascarada, claro). Um abraço e boa sorte no ano redondo.

  7. Há alternativas para a edição do livro. Que tal ler os editais da Fundação Pedro Calmon e correr para inscrever seu livro ainda em janeiro? A vida começa aos 40, dizem e é verdade. Hoje em dia cada vez se envelhece mais tarde e não estou falando do mundo da cosmetologia, estou falando de atitudes.

    Eis a questão, Gerana: não poderia participar desse concurso por ser funcionário público (tá no regulamento). E, sendo concursado, não vou poder nunca. Como a vida começa agora – bem lembrado – tem outros pra tentar. Valeu a dica!

  8. Marcus

    Um abraço redondo pra você. E antes do redondíssimo 2010 espero ter um exeplar deste livro autografado.

    Tem aquela idéia do mimeógrafo…

  9. Katia Borges

    Cara, seu livro já está pronto, podemos até sentir quase no tato, com as pontas dos dedos, quando folheamos as páginas aqui. Quanto ao zen, é você mesmo, na combinação com Emília, que deu em Caio e em Chico. Pirei nos 40 e agora que chego aos 41, no sábado, fechei pro balanço anual, o que inclui a literatura. Beijo enorme!

    Sábado agora? Então feliz aniversário, Kátia! E que seja um bom, aliás um ótimo balanço!!! Brigado pelo zen – é o que eu desejo, mas às vezes… Beijão!!!

  10. Um grande 2009 pra vc, Nilson, com tanta data “redonda”. Ler o blag, em qualquer meio, é um enorme prazer. Se puder ser em livro, melhor ainda. Grande beijo! c.

    Valeu, Christiana. Beijão!

  11. Luisa

    A bem da verdade, você tem um patrocinador óbvio, ainda que seja para a comemoração. Seu livro sim, vai “descer” redondo.
    Estamos aguardando.

    Claro, claro: sem Nova Skin, por favor!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s