Um dia de Caio

 [DSC02520.jpg]

Uma correria, esses dias. O blogue que espere. Hoje, então, a poesia esteve alhures. Nos olhos gentis do menino valente, feliz com seus oito anos completados em torno de uma curiosa mitologia de carros, máquinas quentes, hot wheels. Um passeio sob o sol no mais belo cenário do mundo: o mar defronte ao Elevador Lacerda, a bordo do Forte de São Marcelo. Em outro ponto da cidade, o velho Gusmão chegava aos 47. Às voltas com o sol, que tem me intrigado bastante. O de hoje, por exemplo. Kátia Borges cobrou novos textos. Se o sol permitir, eles devem estar a caminho.

PS: Era pra ter uma foto de Caio aí em cima, mas continuo vergonhosamente apanhando do computador. As fotos tiradas na câmera digital simplesmente não colam. Peguei essa aí na internet porque hoje fiz uma praticamente do mesmo ângulo. Sou o blogueiro mais antiquado do universo, o que não deixa de ser uma baita pretensão.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Poesia

Uma resposta para “Um dia de Caio

  1. Marcus Gusmão

    Já oito Caio Valente? Estas crianças envelhecem muito rápido.

    Pois, pois. E nóis mais ainda, meu véio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s