Googlegänger

 

O dia em que eu descobri meu outro eu na Internet”: hoje me deparei com essa história deliciosa de Sérgio Dávila, um dos grandes textos do jornalismo brasileiro. Googlegänger é uma brincadeira com Doppelgänger, palavra alemã que significa “andarilho em duplicata” e batiza, segundo Sérgio, “um recurso literário baseado no mito também alemão sobre a cópia fantasmagórica que assombra o ser de origem”.  

Aí é só adaptar: “no mundo 2.0, virou o ser virtual que assombra o seu homônimo”. Nosso correspondente em NY descobriu, enfim, que na mesma cidade tem um estilista peruano cujo nome de guerra só não tem o acento no a. 

Fiz uma busca – no google, claro! – e não encontrei nenhum blog assinado por Nilson Galvão. Nem o próprio blag, aliás, já que ao mudar para o wordpress resolvi testar Nilson Pedro, uma nova persona literária que também está na minha assinatura, e talvez ajude a dar alma a esse nomezinho sem graça – Nilson. 

E não, não há também blog assinado por outro Nilson Pedro. Só gente às voltas com temas criminais: um de 15 anos que foi assassinado por um policial e um advogado – esse com certeza muito vivo – ameaçando entrar com pedido de revisão criminal, etc e tal. O Nilson Pedro que me cabe está lá, representando o Blag no Blogblogs. 

Profissionalmente, por outro lado, o Nilson Galvão aqui aparece na lista de aprovados em concurso público ou assinando umas publicações da Secretaria da Administração. E fora da blogosfera essa versão tem também os seus “Googlegängers” – se é assim que se faz o plural em alemão. Tem, por exemplo, um Nilson Galvão Jr., celista “do” Recife, o que pressupõe um pai homônimo que certamente não aparece por ser pré-internet. 

Eu também, aos 38, passei muito tempo da vida nessa dimensão jurássica, onde certamente ainda está um certo Nilson Galvão que na minha própria cidade, Brumado, fazia dupla sertaneja com o indefectível Goizinho.  

Como já não morava mais lá, nunca me bati com o cara, mas vi a sua cara muitas vezes em cartazes espalhados pela cidade. Pelo menos não temos muito a ver fisicamente: ele é mulato, eu, um meio-branquelo-meio-índio. Agora penso que poderíamos fazer uma dupla infernal: Nilson & Galvão. Uma dupla com o duplo, puta-que-o-pariu!!! 

Sérgio Dávila cita um blogueiro famoso que passou a se sentir uma pessoa melhor depois de conhecer o seu googlegänger e ficar amigo dele. Para esse desassombrado cidadão da blogosfera, saber que existe um duplo virtual aumenta a responsabilidade sobre o que escrevemos, já que os desavisados podem achar que o texto é do outro. 

Penso no tal do cantor, que não é virtual, é Doppelgänger de verdade: o que ele anda aprontando lá em Brumado? O que ele pensaria desse seu outro eu que faz ioga e já fez biodança? 

Aos menos afortunados que eu, que não têm um caso assim tão concreto de andarilho em duplicata, sugiro que busquem na rede seu Googlegänger. É, no mínimo, um bom exercício pra dar uma enquadrada no ego: pensar que, enquanto digitamos umas bobagens num blog obscuro, podemos estar ao mesmo tempo alhures, morrendo, advogando, tocando violoncelo. Experimentem!!! 

PS: Lembrei de Kátia Borges, professora de Caio no Crear, que faz duplo com Kátia Borges, do Madamek. Pois é, pelo menos nenhuma enveredou – ainda – pela música sertaneja!!! 

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Poesia

3 Respostas para “Googlegänger

  1. Hahahaa,
    Adorei a idéia. Vou pesquisar +. Mas já vi que o meu duplo é tb uma pessoa de raiz: a minha é uma cantora de sertaneja, tipo boazuda boazuda e com os cabelos lavados com shampoo de laranja….

  2. Katia Borges

    Oi, Nilson, tem centenas de Kátia Borges por aí. Já fiz a experiência de jogar no google. De repente, eu e a professora de Caio decidimos largar essas profissões que não dão grana e partimos para uma dupla sertaneja, ou um trio, um quarteto, sei lá…

  3. Ivan Dmitri

    Nilson,
    E sou meu próprio Googlegänger.
    Mas meu motivo aqui é outro. Trago um convite /desafio para você participar de um e-conto, feito de vários links e por várias mãos.
    Cofira lá no meu blog.
    um abraço,
    Ivan.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s